Independências na África e na Ásia

Com o fim da segunda guerra e da década de 1960 grande parte das colônias europeias na África e na Ásia alcançaram a tão desejada independência política.não foi um processo homogêneo, ocorrendo de duas maneiras: a pacífica e a violenta.No caso da via pacífica, a independência da colônia era realizada progressivamente pela metrópole, com a concessão da autonomia político-administrativa, mantendo-se o controle econômico do novo país, criando, dessa forma, um novo tipo de dependência.As independências que ocorreram pela via da violência resultaram da intransigência das metrópoles em conceder a autonomia às colônias. Surgiam as lutas de emancipação, geralmente vinculadas ao socialismo, que levaram a cabo as independências.

Após a Segunda Guerra Mundial, a Europa declinou completamente, sendo dividida em áreas de influência entre EUA e URSS. O enfraquecimento da Europa significou o fortalecimento do nacionalismo e o crescimento do desejo de independência. Desejo esse que passou a se apoiar na Carta da ONU, que reconhecia o direito à autodeterminação dos povos colonizados e que fora assinada pelos países europeus (os colonizadores).
Em 1955, vinte e nove países recém-independentes reuniram-se na Conferência de Bandung, capital da Indonésia, estabelecendo seu apoio à luta contra o colonialismo. A Conferência de Bandung estimulou as lutas por independência na Ásia.
Índia
O principal líder do movimento pela independência da Índia foi Mohandas Gandhi (1869-1948), conhecido como Mahatma (Grande Alma).
Para enfrentar a dominação inglesa, Gandhi propôs e liderou a resistência pacífica, tática de luta baseada na desobediência civil. Pressionados pela resistência indiana e abalada pela crise decorrente das perdas sofridas com a Segunda Guerra, o governo inglês aceitou negociar com os indianos. Assim, em agosto de 1947, surgiram dois países independentes: a Índia, de maioria hindu, e o Paquistão, de maioria mulçumana.
África
No caso da África, as lutas pela independência foram influenciadas também pelo pan-africanismo e pela negritude.
O pan-americanismo : movimento idealizado por negros norte-americanos e antilhanos, que defendia a unidade da África, a solidariedade e a independência dos povos africanos. negritude:  movimento africano idealizado pelo senegalês Leopold Senghor, que propunha a valorização das culturas nefro-africanas.
As independências africanas podem ser agrupadas em dois blocos:
No primeiro bloco (1945-1962), estão as colônias que conseguiram a independência por meio da negociação com suas ex-metrópoles. Isso não quer dizer que não tenha havido conflito; a negociação era conseguida após forte pressão dos africanos . A Argélia, colônia francesa, foi uma exceção nesse bloco, pois só conquistou sua independência após longa guerra de libertação.
No segundo bloco (1962-1975), estão os países que conseguiram a independência por meio da guerra de libertação. Os africanos geralmente recebiam ajuda militar dos Estados Unidos ou da União Soviética, uma vez que essas superpotências estavam interessadas em ampliar suas áreas de influência. O custo material e humano das independências desse bloco foi altíssimo.

Bom como estamos falando das independências na África e na Ásia achamos um vídeo bem bacana que fala um pouco sobre o assunto.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s