Brasil, A Primeira República

A sociedade brasileira no seculo XIX somente adquiriu igualdade jurídica a partir da abolição da escravatura e da proclamação da republica no mesmo ano em que aconteciam os festejos pelo 100º aniversário da Revolução Francesa. O primeiro presidente brasileiro foi o Marechal Deodoro da Fonseca e o seu vice-presidente foi o também Marechal Floriano Peixoto.
Em 1890 teve início a Assembleia Nacional Constituinte que criou, um ano depois a Primeira Constituição Republicana Brasileira que visou garantir a igualdade do povo.
Deodoro desconfiava dos políticos e pretendia ampliar o poder executivo e limitar a autonomia de Estado, mas oito meses depois de sua eleição ele fechou o Congresso Nacional apesar do poder estar nas mãos de Floriano Peixoto. Deodoro da Fonseca renuncia à presidência.
A ascenção de Floriano Peixoto ao poder foi apoiado pelo Partido Republicano Paulista (PRP) devido à fragilidade momentânea da república e buscou apoio no Exército e na população do Rio de Janeiro.
REVOLTA DA ARMADA
Oposição formada pela Marinha de Guerra Armada liderada por Saldanha da Gama atacou as cidades de Niterói e do Rio de Janeiro com tiros de canhão. Em 1894 população sem suprimentos e munição não concedeu apoio e se separaram em duas formas: Para o sul do Brasil para integrar uma guerra civil ou solicitaram asilo política à Portugal.
REVOLUÇÃO FEDERALISTA
No Rio Grande do Sul, Júlio de Castilhos teve auxílio de Floriano Peixoto para fraudar a eleição e ampliar o poder de Júlio. Os Federalistas defendiam o parlamentarismo e eram denominados ”maragatos” enquanto os republicanos defendiam o presidencialismo e se denominavam ”pica-paus”. A vitória foi dada aos republianos e aos partidários de Júlio.
Segundo a Constituição de 1891 haveria eleições diretas para os poderes legisativo e federativo tudo segundo algumas exigências: Renda Mínima pra votar e ser votado; Analfabetos, homens abaixo de 25 anos de idade, mulheres, soldados, e religiosos eram proibidos de votar; Coronéis poderiam votar, utilizavam de ameaças para controlar os votos. As eleições eram fraudadas e controladas pelos coronéis. Mesmo assim muitos votavam seja por obediência, seja por lealdade, dinheiro, ou proteção.
Entre os partidos republicanos de Minas Gerais e São Paulo ocorreu uma aliança em que por vezes um estado escolhia o sucessor presidencial. Essa aliança foi conhecida como Política do café com leite.
A economia brasileira nessa época era basicamente a base da exportação cafeeira que proporcionou avanço econômico como na construção de estradas e ferrovias.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s