boas-festas.jpg

Anúncios

A Guerra Fria e suas invenções

Todos sabemos que a Guerra Fria não foi uma Guerra de batalhas em campo, e, sim um guerra ideológica, na qual o mundo que conhecemos foi dividido em dois, a parte capitalista comandada pelos EUA e a parte socialista comandada pela URSS. Todas as partes se armaram fortemente, inclusive com bombas nucleares, mas não se sabe ao certo se realmente pretendiam usar, apenas a ameaça de ataque constante foi suficiente para deixar o lado adversário paralisado. O maior marco da Guerra foi o Muro de Berlim que dividiu Berlim em duas, além de ser uma barreira física, foi também um símbolo da polarização do mundo.

Image

A falta de democracia, o atraso econômico e a crise nas repúblicas soviéticas acabaram por acelerar a crise do socialismo no final da década de 1980. Em 1989 cai o Muro de Berlim e as duas Alemanhas são reunificadas. No começo da década de 1990, o então presidente da União Soviética Gorbachev começou a acelerar o fim do socialismo naquele país e nos aliadosO fim da Guerra, não trouxe apenas o fim de uma instabilidade, também mostrou a supremacia capitalista diante do socialismo.

Durante a Guerra fria houve a invenção de aparelhos que utilizamos ate hoje, são coisas que estão tão presente no nosso cotidiano que nem pensamos procurar saber a fundo sua origem:

Forno de microondas

INVENTOR – Percy Spencer

PAÍS – Estados Unidos

Quando a Segunda Guerra estava no fim, um funcionário da fornecedora militar Raytheon, o engenheiro Percy Spencer, notou que um chocolate em seu bolso derreteu quando ele inspecionava magnétrons, componentes usados em radares. Deduzindo que a meleca havia sido causada pelo calor gerado pelos magnétrons, Percy criou um aparelho para aquecer comida usando esse princípio. A Raytheon comprou a idéia e lançou o microondas.CURIOSIDADE – O primeiro microondas pesava 340 quilos e custava de 2 mil a 3 mil dólares!

Computador

INVENTOR – Engenheiros da Universidade da Pensilvânia

PAÍS – Estados Unidos

O primeiro computador, chamado de Eniac, surgiu nos Estados Unidos. Projetado para o Exército americano, o aparelho servia para ajudar nos cálculos de artilharia. O bichão ficou pronto em 1946 e ajudou nos cálculos para construir a bomba de hidrogênio, testada pelos Estados Unidos em 1952.CURIOSIDADE – A máquina tinha mais de 2 metros de altura e ocupava uma área de 15 por 9 metros – algo como um armário gigante. Custou em torno de 400 mil dólares.

O fato dos Estados Unidos serem tecnologicamente superior aos países socialistas, o tornou capaz de inventar e produzi-los.

A SANTA RÚSSIA IMPERIAL E AS TRADIÇÕES REVOLUCIONARIAM.

A União Soviética foi consagrada em 1922. Antes era a Santa Rússia Imperial Tzarista que se apoiava em poderosas tradições e estruturas políticas e sociais.

            Mais de 80% da população era representada por proprietários de terra e camponeses.

            A resistência ao capitalismo fez com que fosse uma sociedade atrasada, com pouca produtividade, muita exploração, miséria e fome. Trabalhos manuais ainda eram utilizados.

            Era um império tradicional e heterogêneo, com variados povos, religiões e culturas.

            “Uma fé, uma nação, um Tzar”. O Tzar era como representante de Deus na Terra para as pessoas. Ele era todo poderoso e seu poder tamanho demonstrava mobilidade, como se ele fosse o único! A sociedade demográfica crescia e havia expansão político militar, enquanto o poder estava unânime e imóvel.

            Por conta do avanço territorial foi que se tornou multinacional com variedades culturais, etc. Diante de todos os povos, o governo Tzarista impunha-se: submissão e autonomia cultural.

            Um movimento veio para abalar as estruturas tradicionais e foi à modernização industrial capitalista.

            O estado percebeu que era “atrasado” e começou a tomar medidas para a modernização. A primeira aboliu a servidão e propôs várias reformas: educação, forças armadas, justiça, etc.

            A partir de 1890, vieram mais reformas acelerando o desenvolvimento capitalista, ferrovia, siderurgia, metalurgia, petróleo e carvão, causavam crescimento, no qual não foi acompanhado pela agricultura e industrial leve. O império despertou dois períodos: 1892-1903 e 1906-1911, alto desenvolvimento.

            Apesar do desenvolvimento, havia desigualdades gigantes. Era o progresso e o atraso andando juntos. Os agricultores resistiam ainda à modernização. Por conta dessas desigualdades houve várias revoltas rurais.

 

A INTELLIGENTSIA REVOLUCIONÁRIA RUSSA

            SOCIALISMO TURAL: Distribuição igualitária da terra e comando dos camponeses através da Comuna Rural (ancestral e igualitarista). Dentro desse sistema ainda havia uma divisão: os partidários (queriam conquistar) e os adeptos à ações para desestabilizar e provocar. Em 1902 criaram o Partido socialista revolucionário.
             PENSAMENTOS DE MARX: Discordavam dos populistas por considerarem que eles queriam coisas irrealizáveis e que eles eram tradicionais, com tradições ultrapassadas.

            Criou em 1903 a social democracia russa. Previam o capitalismo como inevitável. Acreditavam que a revolução Russa passaria por duas etapas: A primeira nas mãos da Burguesia. O proletariado participaria república democrática, houve divergências e formaram os bolcheviques (majoritários) e os mencheviques (minoritários).

            Os 1ºs: mais rigorosos na organização.

            Os 2ºs: queriam construir partidos mais abertos e flexíveis.

            Divergentes, enfraqueceram vésperas da revolução de 1905.

 

REVOLUÃO DE 1905

            De forma imprevista os russos estavam ocupando o território chinês e entrou em contradição com o Japão que também estava lá. Provocaram o Japão e ele atacou. O império Tzarista acumulava derrotas. A população não sabia na verdade o porquê, o que estava em jogo. Fizeram então uma passeata pacífica para tentar conversar com os governantes, mas foram recebidos com balas e foram massacrados. Este foi o Domingo Sangrento. Começou a Revolução. Houve greves operárias. Criou-se um Soviete de representantes.

            Mobilizaram-se não só operários, também as camadas médias urbanas, as nações não russas, soldados e marinheiros e os camponeses. O regime tzarista, sentiu-se acuado e começou a negociar. Prometeu concessões e eleição de um parlamento (Duma).

            Em toda parte as lutas começaram a diminuir. O ano vermelho tinha chegado ao fim.

            Os movimentos sociais refluíram. As eleições para a Duma Imperial foram enfim convocadas, mas o poder do parlamento nunca alcançou amplitude maior. Assim, o regime tzarista se reinstalou com sua força invencível.

            A partir de 1910-12 começaram a surgir movimentos por falta de diálogo e repressão.

            Quando veio a 1ª guerra mundial formou uma União Sagrada para lutar uma luta que achavam que seria certa e vitoriosa, mas a guerra foi longa e vieram os desastres. Milhões de pessoas morreram.

            A situação ficou péssima, tinha inflação, escassez, carência, etc. O governo não fez nada, devido a isso a sociedade propôs várias alternativas assumindo tarefas quer a principio competiam ao governo. A partir de 1916 reapareceu um movimento grevista.

            As pessoas estavam cada vez mais descontentes.

            JORNADAS DE FEVEREIRO: Cinco dias de movimentos sociais. O povo derrubou uma dinastia de três séculos. Todos contra o “TZAR”. Constituiu-se um governo provisório.

            Entre os trabalhadores urbanos queriam fazer a Rússia aplicar a legislação social já conhecida nos centros capitalistas avançados da Europa Ocidental. Os camponeses queriam igualitarismo de toda a terra.

            Foi no âmbito da seção militar do soviete de Petragiado que um grupo de representantes dos soldados formulou uma verdadeira revolução na organização das forças armadas. Os diferentes povos solicitavam o reconhecimento de sua personalidade, alguns já avançando para a independência.

            Começou a aparecer uma clara contradição entre os clamores da sociedade e as disposições do governo provisório. De um lado movimentos sociais vibrantes cada vez menos cautelosos, mais críticos e exigentes. De outro um governo insensível, apegado a seus próprios critérios. Como consequência, as crises foram-se sucedendo. A maré dos movimentos sociais crescia e se organizava.

            Era visível a força de cada vez maior das propostas radicais formulados pelos bolcheviques e por outros: TODO O PODER AOS SOVIETES, todas as reivindicações da direção e controle de suas próprias organizações. O fim do governo provisório e a mudança do regime social e econômico vigente. Veio outra crise mais grave, exigindo a derrubada do governo provisório. Foi necessário recompor o governo de novo, mas veio nova crise. Depois de um golpe veio outro governo; a situação social e política eram péssimas.

            Camponeses cansados de esperar por leis tomaram iniciativas para seu sonho igualitarista. Isso fez com que militares abandonassem as forças militares para participar da divisão igualitária. Delegados de 13 nações aprovaram por unanimidade a proposta de que cada nação seria livre e soberana para troçar seus destinos.

           

REVOLUÇÂO DE OUTUBRO DE 1917

            A insurreição de outubro seria previamente decidida por um partido – o bolchevique-. A intensão era de que o partido assumisse a conduta de uma insurreição no centro nervoso do país, destituísse o governo provisório, passasse o poder aos soviéticos, cujo congresso estava programado para se reunir em fins de outubro e formasse um governo revolucionário, responsável apenas perante os sovietes. O partido hesitou ante a proposta de Lenin.

            Os bolcheviques assumiram todo o poder. Fizeram um governo revolucionário. A insurreição de outubro foi uma revolução que mudou a face do país e do mundo. Mas foi introduzida por um golpe que segundo os protagonistas, eles tinham autoridade para autoriza-lo. A insurreição foi apenas um elo; para se consolidar faltava uma revolução depois de dois anos.

 

A GUERRA CIVIL E A REVOLUÇÃO DE KRONSTADT

            Era oposta a insurreição de outubro. Veio à guerra civil entre bolcheviques e opositores. Ela aumentou o atraso. Comunismo de guerra: nomeava o racionamento e a escassez devido à guerra.

            Os bolcheviques ganharam a guerra civil; agora havia o combate contra a fome e o atraso. Mas foi difícil devido à revoltas camponesas. Logo greves e muita insatisfação. Nessas condições que inicio o movimento dos marinheiros de Kronstadt. Fizeram exigências ao governo. Rendição ou aniquilamento.  Como não houve rendimento começou o aniquilamento. Uma revolução, os bolcheviques vitoriosos, mesmo assim eles consideraram parcialmente os interesses dos derrotad

Revolução Sandinista

Revolução Sandinista ou Revolução Nicaraguense foi o movimento iniciado em 1978 e que se estendeu até 1990, e visava uma reforma radical das instituições da Nicarágua. Era um movimento capitaneado pela Frente Sandinista de Libertação Nacional, FSLN, fundada em 1962. O nome “sandinista” faz referência ao mítico líder Augusto César Sandino (1895-1934), antigo líder da resistência ante à ocupação pelos EUA da Nicarágua, que durou de 1912 a 1933.

Um dos personagens desse conflito foi Carlos Fonseca Amador
Índice

Carlos Fonseca Armador (23 de junho de 1936 – 8 de novembro de 1976) foi um professor e bibliotecário, político e revolucionário da Nicarágua, que fundou a Frente Sandinista de Libertação Nacional (FSLN). Fonseca foi morto mais tarde, nas montanhasem 1976 ele volta para as montanhas de Matagalpa em março. Um informante na área, apelidado de “El Pinto”, revela a presença de Charles para o GN. Noite de domingo 07 novembro Carlos Fonseca e seus companheiros caíram numa emboscada perto da casa do camponês Matias Lopez Maldonado, na região de Zinica, Matagalpa (08 de novembro). Testemunhas indicam que Carlos foi morto depois de ser capturado. Seu corpo é mutilado e suas mãos são enviados para a Manágua para identificá-lo, junto com Carlos Carvajal e queda Crescencio Benito Aguilar, três anos antes da FSLN tomar o poder. Era um atuante opositor dos Somozas e lutava junto com os camponeses, onde conhecia e admirava Sandino e sua resistência. Três anos após sua morte em combate contra a ditadura de Anastásio Somoza Debayle (herdeiro do assassino de Sandino) o FSLN entra triunfante em Manágua no período final da ditadura da família Somoza. Ele recebeu postumamente o título de Herói Nacional da Nicarágua e Comandante em Chefe da Revolução Popular Sandinista

1367487905-fsln-sandinista-party-in-nicaragua_2013169

Sonho de Independência, novos países em construção através de uma realização.

Foram tantas nações colonizadas

 Que a conta eu já perdi

 Foram tantas nações prejudicadas

 Pra concertar ooo tempo que perdi

 Eeeu não vou te dizer que foi tão fácil

 Não foi

 Arrumar a bagunça dessa gente tão grosseira

 Conseguimos mas tivemos que sofrer

 O povo cheio de energia para melhorar

 É o que o continente espera

 Hoje é o dia de a independência proclamar!

 Levei a independência

 Para o povo proclamar

 E no povo grosseiro

 Nós é que vamos mandar

 Não é certo de o povo ser competente

 Mas é certo que todos vamos lutar!

 É hoje o diia, que a independência, o nosso povo vai proclamar!

 Vamos dizer pra todo povo

 Que a nossa independência vai daqui pra todo mundo!